Ótimas exposições parisienses

Trés ótimas exposições fashion em Paris que acontecem em fevereiro, março e abril  para sua próxima viagem à cidade.

1 – O Châteaux de Versailles ganha uma elegantérrima exposição a partir do mês de março. O lindo e precioso trabalho “Les Années Vogue” é do fotógrafo Robert Doisneau, que começou a trabalhar na Vogue a partir de 1954, a pedido da então redatora-chefe Edmonde Charles-Roux. São imagens em preto e branco que imortalizaram momentos de intimidade mundanos, desfiles e eventos de moda marcando uma época. Fotos que são verdadeiras raridades testemunharam um momento muito importante na história de Paris, que volta a ser a capital da moda e elegância do pós-guerra.

Robert Doisneau. “Les Années Vogue”
De 08/03/17 a 28/05/2017
Espace Richaud – 78, Boulevard de La Reine – 78000 – Versailles

2 – O Musée des Arts Décoratifs de Paris apresenta uma exposição curiosa e superinteressante, a “Tenue correcte exigée, quand le vêtement fait scandale“. A mostra, inusitada e inovadora, apresenta um novo olhar sobre as transgressões vestimentárias do século XIV aos nossos dias. Ocasião de reviver grandes momentos fashion em que o proibido, o politicamente correto foram substituídos por looks provocativos cheios de excessos, muito curto, muito largo, muito transparente, muito desleixado, muito justo e muito estranho.

São mais de 400 peças, acessórios, caricaturas, apresentados em uma cenografia bacanérrima assinada pelo designer francês Constance Guisset. Destaque para as peças do desfile Dior do verão de 2000 inspiradas nos sem-abrigo, assinadas por John Galliano, e as túnicas masculinas com abertura na frente, do estilista Rick Owens do desfile verão/2015. Imperdível! até 23 de abril de 2017.

Tenue correcte exigée, quand le vêtement fait scandale
Musée des Arts Décoratifs
107 Rue de Rivoli – 75001,- Paris

3 – A Bibliotèque Nationale de France (BNF) homenageia o grande ícone da fotografia de moda Richard Avedon com uma retrospectiva dividida em quatro tempos, todos ligados ao seu amor e trabalho na França.

Fazem parte da exposição fotos de Coco Chanel a Catherine Deneuve; em seguida, sua contribuição com o filme “Drôle de Frimousse”, com a atriz Audrey Hepburn; depois sua colaboração com o artista francês Jacques-Henri Lartique e, por último, sua participação na cultíssima revista de fotografia “Égoiste”.

Um Richard Avedon completamente à la francesa! Imperdível!

  até 26/02/2017
BNF
Quai François-Mauriac – 75013 – Paris

News fashion 11

1 – O baú de perfumes Chanel

2 – O cofre/maleta para relogios Louis Vuitton

3 – As bolsas coloridas e de tamanho confortável.

4 – As novas sapatilhas Chanel

5 – Chapeu de aba larga e colorido

6 –  Os óculos que podem ser usados no  sol e na  neve

7 – Tendência saltos  e sandalias modernos e coloridos

 

 

Os restaurantes estrelados em Paris-2017

O Guide Michelin 2017 foi lançado na última quinta-feira, com 70 novos restaurantes estrelados em toda a frança.

O guia foi criado em 1900 pelos irmãos André e Edouard Michelin. Já faz mais de um século que o livro vermelho distribui as famosas estrelas a restaurantes gastronômicos.

Uma verdadeira bíblia da gastronomia!

Selecionei todos os restaurantes novos e tradicionais estrelados em Paris para vocês!

Boa degustação!

Restaurantes  1 estrela Michelin:

 1 – Les Jardins de l’Espadon,15 place Vendome, 75001, Paris –

2 –  Restaurant du Palais Royal,110 Galerie de Valois, 75001, Paris

3 – La Table du Lancaster, 7 rue de Berri, 75008, Paris

4 – Sushi B, 5 rue Rameau, 75002, Paris

5 – Restaurant H, 13 rue Jean-Beausire, 75004, Paris

6 – Divellec, 18 rue Fabert, 75007, Paris

7 – Le George, 31 avenue George-V, 75008, Paris

8 – L’Orangerie, 31 avenue George-V, 75008,  Paris

9 – Akrame, 7 rue Tronchet, 75008, Paris

10 – L’Archeste, 79 rue de la Tour ,75016, Paris

11 – La Scène Thélème,18 rue Troyon, 75017, Paris

12 – Alliance, 5 rue de Poissy, 75005, Paris

13 – 114, Faubourg, 114 rue du Faubourg- St-Honoré, 75008, Paris

14 – Agapé , 51 rue Jouffroy-D’Abbans, 75017, Paris

15 – Aida , 1 rue Pierre-Leroux, 75007, Paris

16 – Antoine, 10 avenue de New York, 75116, Paris

17 – Apicius, 20 rue d’Artois, 75008, Paris

18 – Au Trou Gascon, 40 rue Taine, 75012, Paris

19 – Auguste, 54 rue de Bourgogne, 75007, Paris

20 – Benoit, 20 rue St-Martin, 75004, PARIS

21 – Cobéa, 11 rue Raymond-Losserand, 75014, Paris

22 – David Toutain, 29 rue Surcouf, 75007, Paris

22 – Dominique Bouchet, 11 rue Treilhard, 75008, Paris

23 – ES, 91 rue de Grenelle, 75007, Paris

24 – Frédéric Simonin, 25 rue Bayen, 75017, Paris

25 – Garance, 34 rue Saint-Dominique, 75007, Paris

26 – Gaya Rive Gauche par Pierre Gagnaire, 44 rue du Bac, 75007, Paris

27 – Helen, 3 rue Berryer, 75008, Paris

28 – Hélène Darroze, rue d’Assas, 75006, Paris

29 – Hexagone, 81 avenue Kléber, 75016, Paris

30 – Il Carpaccio, 37 avenue Hoche, 75008, Paris

31 – Il Vino d’Enrico Bernardo, 13 bd de la Tour-Maubourg, 75007, Paris

32 – Itinéraires, 5 rue de Pontoise, 75005, Paris

33 – Jin, 6 rue de la Sourdière, 75001, Paris

34 – La Dame de Pic, 20 rue du Louvres, 75001, Paris

35 –La Fourchette du Printemps, 30 r. duPrintemps, 75017, Paris

36 – La Grande Cascade, Bois de Boulogne, 75016, Paris

37 – La Scène, 33 Avenue George V, 75008, Paris

38 – La Table d’Eugène, 18 rue Eugène-Süe, 75018, Paris

39 – La Tour d’Argent,15 quai de la Tournelle, 75005, Paris

40 – L’Arôme, 3 rue St-Philippe-du-Roule, 75008, Paris

41 – Lasserre, 17 av. Franklin-D.-Roosevelt, 75008, Paris

42 – L’Atelier de Joël Robuchon – Étoile, 133 avenue des Champs-Elysées, 75008, Paris

43 – Laurent, 41 avenue Gabriel, 75008, Paris

44 – Le 39V, 39 avenue George-V, 75008, Paris

45 – Le Baudelaire, 6-8 rue Duphot, 75001, Paris

46 – Le Chiberta, 3 rue Arsène-Houssaye, 75008, Paris

47 – Le Jules Verne, Tour Eiffel, 75007, Paris

48 – Le Pergolèse, 40 rue Pergolèse, 75116, Paris

49 – Le Quinzième – Cyril Lignac, 14 rue Cauchy, 75015, Paris

50 – Le Restaurant, 13 rue des Beaux Arts, 75006, Paris

51 – Le Violon d’Ingres , 135 rue St-Dominique, 75007, Paris

52 – Les Climats, 41 rue de Lille, 75007, Paris

53 – Les Fables de La Fontaine, 131 rue St-Dominique, 75007, Paris

54 – Les Tablettes de Jean-Louis Nomicos, 16 avenue Bugeaud, 75116, Paris

55 – Lucas Carton, 9 place de la Madeleine, 75008, Paris

56 – Nakatani, 27 rue Pierre-Leroux, 75007, Paris

57 – Neige d’Été, 12 rue de l’Amiral-Roussin, 75015, Paris

58 – Pages, 4 rue Auguste-Vacquerie, 75016, Paris

59 – Penati al Baretto, 9 rue Balzac, 75008, Paris

60 – Pur’ – Jean-François Rouquette, 5 rue de la Paix, 75002, Paris

61 – Qui plume la Lune, 50 rue Amelot, 75011, Paris

62 – Relais d’Auteuil, 31 rue Murat, 75016, Paris

63 – Relais Louis XIII, 8 rue des Grands-Augustins, 75006, Paris

64 – Saturne, 17 rue Notre-Dame-des-Victoires, 75002, Paris

65 – Septime, 80 rue de Charonne, 75011, Paris

66 – Shang Palace, 10 avenue d’Iéna, 75116, Paris

67 – Sola, 12 rue de l’Hôtel-Colbert, 75005, Paris

68 – St-James Paris, 43 avenue Bugeaud, 75116, Paris

69 – Yam’Tcha, 121 rue St-Honoré, 75001, Paris

70 – Ze Kitchen Galerie, 4 rue des Grands Augustins, 75006, Paris

———————————————————————————————————————————————————————————————————

Restaurantes  2 estrelas Michelin

1 – Kei, 5 rue du Coq-Heron, 75001, Paris

2 – La Table de l’Espadon, 15 place Vendôme, 75001, Paris

3 – Carré des Feuillants , 14 rue de Castiglione, 75001, Paris

4 – L’Abeille, 10 avenue d’Iéna, 75116, Paris

5 – L’Atelier de Joël Robuchon – St-Germain, 7 rue de Montalembert, 75007, Paris

6 – Le Gabriel, 42 avenue Gabriel, 75008, Paris

7 – Le Grand Restaurant – Jean-François Piège, 7 rue d’Aguesseau, 75008, Paris

8 – Le Clarence, 31 avenue Franklin-D.-Roosevelt, 75008, Paris

9 – Le Grand Véfour, 17 rue de Beaujolais, 75001, Paris

10 – Le Meurice Alain Ducasse, 228 rue de Rivoli, 75001, Paris

11 – Le Taillevent , 15 rue Lamennais, 75008, Paris

12 – Maison Rostang, 20 rue Rennequin, 75017, Paris

13 – Mathieu Pacaud – Histoires, 85 avenue Kléber, 75016, Paris

14 – Passage 53, 53 passage des Panoramas, 75002, Paris

15 – Sur Mesure par Thierry Marx, 251 rue St-Honoré, 75001, Paris

16 – Sylvestre, 79 rue St-Dominique, 75007, Paris

————————————————————————————————————————————————————————————————

Restaurantes 3 estrelas Michelin

1 – Alain Ducasse au Plaza Athénée, 25 avenue Montaigne, 75008, Paris

2 – Alléno Paris – Pavillon Ledoyen, 1 avenue Dutuit, 75008, Paris

3 – Arpège, 84 rue de Varenne, 75007, Paris

4 – Astrance, 4 rue Beethoven, 75016, Paris

5 – Épicure, 112 rue du Faubourg-St-Honoré, 75008, Paris

6 – Guy Savoy, 11 quai de Conti, 75006, Paris

7 – L’Ambroisie, 9 place des Vosges, 75004, Paris

8 – Le Cinq, 31 avenue George V, 75008, Paris

9 – Le Pré Catelan, Bois de Boulogne, 75016, Paris

10 – Pierre Gagnaire, 6 rue Balzac, 75008, Paris

 

 

 

 

Centre George Pompidou em Paris

O Centro Georges Pompidou festeja 40 anos.

No espaço onde existia um grande estacionamento no centro de Paris, foi criado, em 1977, o Musée National d’Art Moderne, o famoso Centro Georges Pompidou.

Na época, sua construção causou inúmeros protestos dos moradores do bairro, que achavam o projeto moderno demais e que ele iria descaracterizar a região.

O arquiteto inglês Richard Rogers  e o arquiteto italiano Renzo Piano foram os responsáveis pelo projeto. Eles optaram por deixar expostos tubos de alimentação diferenciados por cores: azul para a climatização, verde para a água, amarelo para os cabos elétricos, vermelho para os cabos dos elevadores e branco para a ventilação do subterrâneo.

Uma enorme evolução arquitetônica, nunca vista em Paris!

Não podemos esquecer que o Centro Pompidou não e só um museu: ele tem uma das bibliotecas mais importantes da cidade, onde estudantes aprendem mais de 250 línguas estrangeiras e dialetos. Ele comporta ainda uma sala de cinema, espaços para conferências, uma grande sala de espetáculos, livrarias, boutiques e cafeteria.

Desde que foi inaugurado em 31/01/1977, o Museu recebeu mais de 102 000 000 visitas, apresentou mais de 325 exposições e teve uma frequentação de mais 110 000 000 leitores na biblioteca.

Com uma programação super extensa e variada, é sempre bom incluir uma visita ao Centro Pompidou em suas viagens a Paris !

 

As dez galerias mais famosas de Paris

As dez galerias (ditas “passages”) mais famosas de Paris são uma verdadeira viagem no tempo e uma ótima ideia de passeio para sua próxima viagem a Paris:

1- A galeria Colbert, construída em 1826, onde fica o Instituto National d’Histoire de l’Art e du Patrimoine. Seu nome vem do famoso Hotel Colbert, que fica ao lado da galeria.
Alerte Colbert
2, Rue Vivienne – 75002 – Paris

2- A Galerie Vivienne, uma das mais lindas da cidade, construída em 1823. Foi um sucesso enorme no segundo império. Seu esplêndido telhado de vidro (“verrière“) e seu solo em mosaico fizeram dessa passage a mais elegante de Paris, com lojas, restaurantes e livrarias bacanérrimos.
Galerie Vivienne
4, Rue des Petits Champs – 75002 – Paris

3- Passage Choiseul é considerada a mais longa, com seus 190 metros de comprimento. Comporta cafés e restaurantes.
Começa no 40 Rue des Petits – Champs e termina no 23 Rue Saint Augustin.
75002 – Paris

4- Passage du Grand-Cerf, uma linda galeria com pé-direito de 12 metros de altura com teto de vidro, que começa na Rue Saint Denis e termina em frente à Rue Marie Stuart. Possui várias boutiques supersimpáticas de artesãos e criadores parisienses.
Passage Grand Cerf
8, Passage Grand Cerf – 75002 – Paris

5- Passage Molière, uma passagem a céu aberto com pequenos restaurantes no bairro do Marais. Uma curiosidade: os números dos prédios da passagem não correspondem à ordem clássica dos números dos prédios parisienses.
Passage Molière
157, Rue Saint Martin – 75003 – Paris

6-Passage des Panoramas: entre a Rue Montmartre e a Saint Marc, fica a Passage des Panoramas, inscrita no patrimônio histórico da cidade desde 1974, cheia de restaurantes típicos parisienses e o famoso café Stern, decorado por Philippe Starck.
Passage des Panoramas
11, Boulevard Montmartre – 75002

7- A Passage des Princes, entre o Boulevard des Italiens e a Rue Richelieu, foi inaugurada em 1860. Batizada inicialmente de Passage Miras, ela foi destruída em 1985. Em função de uma operação imobiliária, foi reconstruída, idêntica. Abriga uma das lojas de brinquedos infantis preferida dos parisienses.
Passage des Princes
5, Boulevard des Italiens – 75002 – Paris

8- A Passage Verdeau fica entre a Rua La Grange-Bateliere e a Du Faubourg Montmartre, e é um prolongamento da Passage des Panoramas, onde estão instaladas lojinhas de colecionadores de livros e cartões-postais antigos.
Passage Verdeau
6, Rue de la Grange-Batelière – 75009 – Paris

9- Galerie Véro-Dodat, entre as Ruas Jean-Jacques Rousseau e Du Bouloi, com o solo em preto e branco, o que dá uma noção de profundidade superinteressante a esta galeria. Ela leva o nome da família que a construiu e acolheu a primeira loja do designer de sapatos Christian Louboutin.
Galerie Vero-Dodat
19, Rue Jean-Jacques Rousseau – 75001 – Paris

E, para terminar esta seleção de lindas galerias parisienses:

10- A Passage du Havre, antiga passage du Chantier de Tivli, abriga hoje um dos poucos centros comerciais modernos de Paris. Fica bem próxima de grandes lojas de departamento, como Lafayette e Printemps.
Passage Havre
69, Rue Caumartin – 75009 – Paris

Barcos poéticos invadem o Le Bon Marché em Paris

Se voce vai estar em Paris até meados de fevereiro não deixe de visitar a exposição “Where are we going”!

A loja de departamentos Le Bon Marché em Paris está apresentando o lindo trabalho da artista Chiaru Shiota: “Where are we going”, uma instalação composta de 150 barcos brancos feitos de algodão, de intensa poesia, lembrando o poema de Rimbaud, “Le Bateau Ivre”. A verrière (teto de vidro) da loja serve de suporte para que os barcos que representam todas as culturas do mundo em vários tamanhos possam flutuar, dando uma sensação de liberdade e paz. Muito lindo!

A exposição vai até 18/02/2017
Le Bon Marché
24, Rue de Sèvres, 75007 – Paris

 

Os desfiles da Haute Couture parisiense

A palavra de ordem na última semana da Haute Couture parisiense foi: GLAMOUR!

Moderna, clássica, atemporal e de várias outras formas os estilistas mostraram com muita elegância sua visão do luxo na  Haute Couture.

Dior
Em um grande labirinto vegetal nos jardins do Musée Rodin, Maria Grazia Chiuri, diretora artística da Maison Dior, fez desfilar fadas e princesas como em um conto: cores leves em vestidos volumosos de tule com detalhes de drapeado e bordados. Ela dedicou o desfile à editora da Vogue Itália, Franca Sozzanni, que faleceu este ano.

Chanel
Karl Lagerfeld fez um desfile bastante luxuoso para a Maison Chanel. Com vários tailleurs e lindos vestidos de festa, trabalho primoroso nas mangas volumosas, nos bordados e nas plumas, o Grand Palais em Paris se transformou em uma enorme maison de luxo.

Alexis Mabille
Um dos preferidos estilistas das editoras de moda e das parisienses, Alexis Mabille apresentou um lindo desfile de Haute Couture com uma cartela de cores surpreendente e alguns detalhes de bordados, além de muito tule em véus sobre os vestidos. A explosão de cores e as combinações inusitadas de tons lembraram a M. Saint Laurent.

Ralph & Russo
Foi um dos nomes fortes da semana da Haute Couture parisiense. Fez bonito mais uma vez, com vestidos de princesas e rainhas bordados, volumosos e luxuosos. O ápice do desfile foi a entrada da modelo brasileira Alessandra Ambrósio de noiva, muito aplaudida.

Giambatistta Valli
Este estilista italiano, preferido por várias modelos internacionais, apresentou um desfile com o que sabe fazer de melhor: lindos vestidos com saias em várias camadas de tule fazendo volumes impecáveis. Uma bela coleção de Haute Couture!

Alexandre Vauthier 
Conhecido como o príncipe das fendas e dos decotes no mundo fashion internacional, é o estilista preferido das tops. Alexandre Vauthier provou mais uma vez, com seu desfile de Haute Couture, que sabe como poucos valorizar o corpo da mulher. Misturou peças banais do cotidiano, como short jeans com enormes e volumosas blusas/capas em tafetá. Vestidos curtos de couro metalizados, bordados, justérrimos com transparência em renda, brincando de esconde-esconde, mas aparecendo belíssimos. O tomara que caia em veludo preto, com transparência na frente e manga solta em plumas, fez a plateia suspirar!

É interessante observar como alguns estilistas que não fazem parte de grandes grupos financeiros têm uma liberdade de criação fascinante, como é o caso de Vauthier.

Givenchy

Ricardo Tisci se inspirou em mulheres do século XIX  no mais puro estilo vitoriano.

Vestidos ricos em rendas, bordados e plumas, linda coleção.

Elie Saab

Elie mais uma vez brilhou mostrando não somente um desfile deslumbrante de Haute Couture, como também um savoir-faire inconfundível em matéria de vestido de festa.

Maison Margiela

John Galliano, habituado a fazer verdadeiros espetáculos fashion surpreendentes, tanto nos cenários como nos looks para Haute Couture na época que era diretor artístico da Dior, mostra na Maison Margiela uma Haute Couture artesanal, moderna  mas com sua assinatura de rebeldia e contestação bem evidente.

Ralph & Russo

Como de hábito , vestidos de princesas desfilaram na passarela da Haute Couture de Ralph & Russo. Plumas, bordados, botões bijoux, drapeados… todos os elementos de um grande trabalho dos ateliês da marca estavam presentes, em looks estonteantes para clientes do mundo todo.

Jean-Paul Gauthier

O estilista nesta edição da Haute Couture, optou por um desfile bem mais informal, colocando calças largas e casacos bem cortados em tecidos nobres para desfilar com longos vestidos coloridos de cetim e detalhes bordados.

Até a próxima Haute couture!

 

 

 

 

 

O novo guarda-roupa masculino pro inverno/2017

Os desfiles masculinos da semana de moda parisiense trouxeram várias novidades para o guarda roupa do homem moderno.

Novas cores,  novas proporções,  muitos acessórios: bolsas, chapéu, óculos e lindos casacos, capas, ternos mais justos e looks tendência esporte,  urbano e vanguardista.

Um resumo do que foi apresentado em fotos dos desfiles:

Paul Smith, Louis Vuitton, Dries Van Noten, Givenchy,Kenzo, Issey Myaki, Yoji Yamamoto, Rick Owens, Dior e Berluti

Fotos Gerson Lirio