CategoriasLifestyle

Livro fashion

Share

O livro da  jornalista francesa Jamie Samet, famosa pelo bom gosto em tudo que escreve – é ela quem cobre, há anos, as semanas da Alta Costura para o Le Figaro –  é  sobre o trabalho e a obra do estilista Elie Saab. Com fotos originais do fotógrafo Laziz Hamani, ela mostra a evolução da marca daquele que é considerado um dos maiores na arte de criar vestidos de festa. Ler o livro é como se você estivesse desfilando no tapete vermelho!

Passage e Galeria parisiense

Share

Uma das coisas que chamam a atenção dos turistas em Paris são as passagens cobertas e galerias, que fazem parte da riqueza do patrimônio da cidade. Uma das mais lindas é a Galerie Vivienne.

Na metade do século XIX a moda do oriente trazida por Napoléon Bonaparte de sua viagem ao Egito, conduz promotores imobiliários a imaginar como o modelo de souks árabes, as primeiras passagens galerias comerciais cobertas. Rapidamente estas “ruas” ao abrigo de chuvas, com aquecimento e iluminação a gaz conheceram um franco sucesso. Hoje existem mais de 150 em toda Paris.

Construída em 1823 pelo arquiteto F.J. Dellannoy, a galeria Vivienne que no início era Galerie Marchoux, conservou muito bem toda sua decoração. Mais chique que a “Passage Choiseul“, menos frequentada que a “Passage des Panoramas” e menos exótica que a “Passage Brady“, a galeria Vivienne mostra bem o ambiente e clima das mulheres que a frequentavam  nesta época, sofisticado e burguês.

Quando estamos dentro da galeria temos a impressão de estarmos na Belle Époque, por sua luxuosa decoração no estilo neo-clássico, seu piso de mosaicos floridos e seus desenhos em alto relevo no teto e, também, por seu comércio, alguns estão ali desde o início, como a Librairie Jousseaume fundada em 1826 que tinha como clientes Colette e Aragon, a prestigiosa Cave Legrand, que ocupa o mesmo endereço desde 1880 e a “épicerie fine” Legrand que existe desde a construção da galeria. Alguns endereços de compras como a marca Alexis Mabille, que é um novo designer francês que está despontando, o Secrets d’Intérieur para fragrâncias de casa, velas e outros objetos de decoração e, para crianças, a loja de brinquedos retrô Si tu veux.

Um dos salões de chá mais conhecidos de Paris é o A Priori Thé, perfeito para uma saladinha, quiche ou chá da tarde. Para sentir o verdadeiro ambiente de bistrô parisiense ou tomar uma taça de vinho, vá ao restaurant Vivienne.

Um dos ótimos endereços da cidade luz.

Galerie Vivienne
6 Rue Vivienne e 4, Rue de Petits Champs – 75002 Paris.

Hotel Peninsula Paris

Share

O Península, do grupo chines The Peninsula Hotel, tem seu endereço parisiense, ao lado do Arc du Triomphe e de vários outros monumentos e de diversas boutiques de luxo.
Em um imóvel clássico parisiense do século XIX, onde foi o Hotel Majestic, um endereço cheio de história, que foi todo renovado, preservando os detalhes e motivos neoclássicos na decoração. O hotel possui 166 quartos luxuosos, 34 suítes com nível de conforto excepcional, consideradas umas das mais espetaculares da capital.
A decoração moderna e contemporânea define uma nova imagem em termos de design, luxo e conforto. Spa, piscina interna, sala de ginástica e um terraço panorâmico com um bar reservado aos hóspedes foi instalado no último andar, para que o cliente possa apreciar a vista da Cidade-Luz.

Mais uma opção luxuosa para suas férias em Paris.

19 Avenue Kléber, 75116 Paris

Rooftop BHV

Share

Um endereço para ótimos momentos de verão com os amigos em Paris, o Perchoir du Marais, terraço da loja de departamentos BHV.
Com decoração descontraída, possui uma das mais belas vistas da cidade. Bar com coquetéis, vinhos e finger food para o maior conforto do cliente que, depois de passar o dia inteiro comprando na loja, vai descansar no terraço, apreciando a vista.
BHV –
36 Rue de la Verrerie, 75004 Paris

Os tesouros da marca Louis Vuitton

Share

Um exposição excepcional de objetos que fizeram o nome da marca Louis Vuitton acontece na Galerie de la Maison Louis Vuitton em Asnieres-sur-Seine, perto de Paris.

Foi em 1859 que Louis Vuitton chegou a Asnieres-sur-Seine, para se instalar com a família e abrir seu ateliê. A família morou no endereço até 1964, ficando somente os ateliês no local, que existem até hoje, com artesãos especializados que fabricam os pedidos especiais de malas, bolsas e baús. É também onde ficam os arquivos, cuidadosamente conservados, com mais de 165.000 documentos, como fichas de clientes, registros de vendas, os cartazes da época e 23.000 objetos, como malas, valises, bolsas e prêt-à-porter – peças que pertenceram a vedetes do cinema, príncipes, milionários excêntricos, clientes exclusivos.

É exatamente essa coleção de ícones da maison que está sendo exposta na Galeria da Louis Vuitton. Judith Clarck, curadora da exposição, teve acesso a esse endereço íntimo da família. Com a exposição, ela conseguiu realçar o universo de luxo da marca dentro de um clima lúdico, criativo e atemporal.

Durante a semana da Haute Couture, a imprensa internacional foi convidada a conhecer o endereço e a exposição. Para o público, as visitas acontecem somente no fim de semana e com horário marcado.

Bacanérrimo!

18 Rue Louis Vuitton, 92 600 Asnières-sur-Seine

+331 47 33 29 40

Imagens da dança

Share

O fotógrafo Matthew Brooks, que trabalha para revistas, como “Vogue” homem, “Numero“, “L’Officiel Homme“, entre outras, lançou seu primeiro livro de fotografias na Colette, em Paris, durante a semana da Haute Couture.

O universo da dança foi o escolhido por ele para esta 1ª edição, com imagens deslumbrantes dos bailarinos da Ópera de Paris em preto e branco. Com isso, a Colette, no dia 6 de julho, virou o palco dos bailarinos da ópera que, em sua maioria, foram prestigiar o lançamento do livro, assim como vários amigos brasileiros do fotógrafo, que adora o Brasil.

Matthew é um grande fotógrafo – seu trabalho tem sido reconhecido por editoras e estilistas do mundo inteiro.

Les Danseurs

Matthew Brooks