Desfiles Haute Couture Julho-15, Paris

Share

Chegou um dos momentos mais importantes da moda internacional, a semana da “Haute Couture Parisiense”, um momento raro de criatividade, inovação, e sonho. Com cenários às vezes grandiosos, como os da Dior e Chanel, e outros mais contidos, as maisons apresentam o que há de mais forte em termos de mão de obra especializada, tecidos, acabamentos, modelagens e bordados nas suas coleções.

Os desfiles da “Haute Couture”, que normalmente eram reservados para algumas clientes privilegiadas, já, há algum tempo, com a nova mídia, tomaram proporção de grandes eventos.

Nesta edição, as coleções estão iluminadas, ou por cores fortes, ou por bordados e estampas floridas e coloridas; os volumes continuam importantes assim como detalhes de golas e mangas.

É realmente um universo único, que celebra a beleza e a criatividade da moda no seu estado puro. Separei algumas imagens do Gerson Lirio para vocês.

Dior Show Room Croisière 2016 Paris

Share

 

Durante a semana de Haute Couture parisiense, aconteceram vários eventos fashion. Selecionei alguns para vocês.

Showroom Dior, na Avenue Montaigne: Priscila Monteiro, relações-públicas da maison no Brasil, recebeu a imprensa brasileira para apresentar a coleção Croisière Dior. O estilista criou novas texturas em peças contemporâneas e uma linha de acessórios intitulada “Paradise Dior”.

Palais Bulles: a casa de Pierre Cardin no sul da França, utopia arquitetural que reúne terra, céu e mar, é um projeto onde o futuro se constrói organicamente, com formas e arquitetura a partir do passado. Para a coleção Raf Simons, diretor artístico da Dior, houve um realce nas paisagens e a memória do sul da França.Inspirado pelas cores, texturas, luzes e o panorama natural da Côte d’Azur, o estilista criou novas texturas em peças contemporâneas. Assim, o Palais Bulles vem a ser a metamorfose absoluta desta coleção.

Os tesouros da marca Louis Vuitton

Share

Um exposição excepcional de objetos que fizeram o nome da marca Louis Vuitton acontece na Galerie de la Maison Louis Vuitton em Asnieres-sur-Seine, perto de Paris.

Foi em 1859 que Louis Vuitton chegou a Asnieres-sur-Seine, para se instalar com a família e abrir seu ateliê. A família morou no endereço até 1964, ficando somente os ateliês no local, que existem até hoje, com artesãos especializados que fabricam os pedidos especiais de malas, bolsas e baús. É também onde ficam os arquivos, cuidadosamente conservados, com mais de 165.000 documentos, como fichas de clientes, registros de vendas, os cartazes da época e 23.000 objetos, como malas, valises, bolsas e prêt-à-porter – peças que pertenceram a vedetes do cinema, príncipes, milionários excêntricos, clientes exclusivos.

É exatamente essa coleção de ícones da maison que está sendo exposta na Galeria da Louis Vuitton. Judith Clarck, curadora da exposição, teve acesso a esse endereço íntimo da família. Com a exposição, ela conseguiu realçar o universo de luxo da marca dentro de um clima lúdico, criativo e atemporal.

Durante a semana da Haute Couture, a imprensa internacional foi convidada a conhecer o endereço e a exposição. Para o público, as visitas acontecem somente no fim de semana e com horário marcado.

Bacanérrimo!

18 Rue Louis Vuitton, 92 600 Asnières-sur-Seine

+331 47 33 29 40

Imagens da dança

Share

O fotógrafo Matthew Brooks, que trabalha para revistas, como “Vogue” homem, “Numero“, “L’Officiel Homme“, entre outras, lançou seu primeiro livro de fotografias na Colette, em Paris, durante a semana da Haute Couture.

O universo da dança foi o escolhido por ele para esta 1ª edição, com imagens deslumbrantes dos bailarinos da Ópera de Paris em preto e branco. Com isso, a Colette, no dia 6 de julho, virou o palco dos bailarinos da ópera que, em sua maioria, foram prestigiar o lançamento do livro, assim como vários amigos brasileiros do fotógrafo, que adora o Brasil.

Matthew é um grande fotógrafo – seu trabalho tem sido reconhecido por editoras e estilistas do mundo inteiro.

Les Danseurs

Matthew Brooks